Mês: junho 2017

Um minuto pela paz

Comentários: 0

No dia 8 de junho, foi realizado em vários países o “Um minuto pela paz”, que recorda o terceiro aniversário do encontro entre o Papa Francisco, o patriarca Bartolomeu e os presidentes da Palestina, Abu Mazen, e de Israel, Shimon.  O momento histórico aconteceu em 2014 no Vaticano e marcou um encontro de oração pela paz entre cristãos, judeu e muçulmanos. O próprio Santo Padre convida todo o mundo a se unir neste pequeno momento de oração, pois existe uma grande necessidade de rezamos pela paz.

Ao homem – e nesse sentido refiro-me à raça humana, sendo homem ou mulher – o Pai Eterno concedeu o dom da inteligência, que pode ser utilizada tanto para o bem, quanto para o mal. A cada dia que passa nos surpreendemos com tantas coisas que vêm acontecendo e que podem desencadear para algo muito maior e mais sofrido, como uma guerra mundial.

Longe do Brasil, vemos pela mídia uma grande violência, que ataca povos e nações por meio de atentados, ataques terroristas. Já aqui, em nossa própria casa, nosso próprio país. É muito forte o sentimento de insegurança das pessoas quando saem às ruas. Muitos são aqueles que se aproveitam da vulnerabilidade alheia e acabam roubando, ferindo e até mesmo matando. Sem contar ainda a violência que conseguimos perceber ao avaliar o quadro político do nosso país. Muitos políticos encaram o poder, que foi dado a eles pela própria sociedade, como um passaporte para a fonte do benefício próprio.

As pessoas perderam a noção do amor. Não se preocupam mais com o outro, nem mesmo consigo mesmas. Vivem a cultura da violência física e também da violência moral.

Nós, que somos cristãos, devemos lutar pelo amor. Só ele pode transformar os corações e dar sentido à existência humana. É preciso que compreendamos o verdadeiro sentido do outro em nossas vidas para que nos tornemos mais sensíveis e humanizados. Só seremos capazes de chegar a Deus servindo ao nosso irmão.

Precisamos nos colocar no lugar do outro para que sejamos capazes de entender as suas necessidades. Somente assim, será possível encontra o caminho que leva ao amor verdadeiro que vem do Divino Pai Eterno.

A Romaria de Trindade é uma forma de encontramos o caminho que leva ao amor verdadeiro que vem do Divino Pai Eterno. Durante os dez dias de festividades, milhares de romeiros vêm a Trindade como forma de manifestar sua fé. São diversas as formas de orações, pedidos, louvores e agradecimentos. Uma oportunidade fundamental para reunir, com muita emoção, irmãos de vários lugares que, com o mesmo intuito, visitam a Casa do Pai para proclamar e reavivar a sua fé.

Aproveitemos esta oportunidade para encontrar dentro de nós mesmos a paz que buscamos no mundo. Esta pode ser uma verdadeira experiência de encontro e total entrega ao Pai, tendo como exemplo a Virgem Maria, que este ano é homenageada e nos ensina a dizer ‘sim’ para a vontade de Deus em nossa vida. Ela, que é a serva humilde e fiel ao Pai Eterno nos dá a certeza de que Ele nos ama e nos recebe de braços abertos.

Vamos fazer com que esse amor se prolifere. Amemos a Deus e também aos nossos semelhantes. Que em todos os ambientes onde estivermos nós possamos nos tornar fonte de paz e canal da graça que o Pai Eterno quer derramar na vida de nossos irmãos. E que juntos possamos fazer uma corrente de oração para fortalecer a nossa fé e pedir pelos irmãos que tanto sofrem por conta de toda a maldade existente no mundo.

Não percamos a fé em Deus e não percamos a fé também na humanidade. Aceitemos o chamado que nos faz o Santo Papa para rezar pela paz, não somente por um minuto, mas sempre. Lutemos pela paz, confiando na bondade e misericórdia do Pai Eterno e aceitando a única condição que Ele nos impõe, que é espalhar pelo mundo o amor misericordioso e incondicional que Ele mesmo oferece a cada um de nós.

Deus nos abençoe!

Pe. Robson de Oliveira

Superior Provincial dos Redentoristas de Goiás e

Presidente-fundador da Afipe

Maria: Serva humilde e fiel ao Pai Eterno

Comentários: 0

Estamos em Festa! É a cidade de Trindade, o nosso querido Estado de Goiás e todo o Brasil com o olhar voltado para as maravilhas que o Pai Eterno realiza na humanidade através do “Sim” de Maria. É tempo de graça e salvação. É o coração do Brasil e o coração do povo brasileiro unido fortemente ao Coração de Deus, nosso Pai. Maria: serva humilde e fiel ao Pai Eterno, é o tema central da Romaria 2017,um tema que está em sintonia com a Igreja no Brasil que celebra o Ano Mariano e os 300 anos do achado da imagem de Aparecida, em Aparecida do Norte (SP). E em comunhão com toda a Igreja que celebra os 100 anos das aparições de Fátima, em Portugal.

Durante nove dias de Novena e Festa, vamos contemplar no Santuário Matriz e no Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, através da imagem da Santíssima Trindade, Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo coroando Nossa Senhora. E, refletir cada passo dado por Deus através de Maria – que é o símbolo maior de cada pessoa que recebe um dom, um chamado e uma missão especial – para colaborar com Deus na obra da redenção da humanidade. Na contemplação da imagem, a nossa fé nos leva ao Mistério da Igreja, nascida do coração do Pai, que envia Seu Filho e o Espírito Santo, para em Maria iniciar a obra salvadora e redentora.

É o “mistério da Santíssima Trindade, o mistério central da fé e da vida cristã” (CIC nº. 234). Mistério de fé, pois “nela, Deus se revela, mas permanece mistério inefável” como nos diz Santo Agostinho. Podemos nos perguntar, então: o que a Trindade tem a ver com nossa vida? Nós estamos intimamente unidos à Trindade Santa, por intermédio de Maria, nossa Mãe Santíssima, Mãe de Deus e Mãe da Igreja. Nela está representada, a pessoa humana e ao mesmo tempo a Igreja que tem no mundo a missão de continuar anunciando Jesus Redentor a todos os povos e nações. E, um dia a vivermos eternamente no coração de Deus.

O Concílio Vaticano II, na Constituição Lumem Gentium, mostra o “mistério da Igreja como comunidade visível e temporal, reveladora do invisível e do eterno: Maria, Mãe de Cristo e da Igreja”. Na imagem, contemplamos a coroação de Nossa Senhora. É a expressão de que Ela é associada, pela Maternidade Divina, ao Mistério da Trindade. De Maria, nasce o Filho de Deus. Mãe de Jesus Cristo, participa Maria de todo o Mistério da Encarnação do Verbo e, na escuta e na meditação da Palavra de Deus, participa do surgimento do Povo de Deus a partir da própria Palavra divina: “Minha mãe e meus irmãos são os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática”.

Como chave de leitura e pista para reflexão, meditação e exposição do tema deste ano, focamos no chamado que o Pai Eterno fez à Maria para ser corredentora dele no processo de salvação da humanidade. E, como Maria correspondeu a esse chamado dando-nos o exemplo de disposição livre, consciente e obediente à vontade do Pai Eterno em sua vida, que “pela sua fé e obediência, gerou na terra o próprio Filho de Deus Pai, sem ter conhecido varão, por obra e graça do Espírito Santo” (LG 63).

Antes de ser serva humilde e fiel, Maria é antes de tudo filha de Deus. Condição que a coloca em unidade perfeita de amor para com seu Filho Jesus que se fez o servo, humilde e sofredor de Isaías (cf. Is 52). Foi pensado com muito carinho, cuidado e atenção uma vez que a Romaria é dedicada ao Pai Eterno. Por isso, o destaque principal e dado à Ele do qual tudo procede, donde tudo vêm, passa por Ele e volta-se para Ele (Rm 11,36). Deus é o único Senhor (Dt 6,4). E, se não for único, diz Tertuliano, “não é Deus”.

Na Bíblia, o ser humano é o centro das atenções de Deus. Nós ocupamos, não por méritos nossos, mas por pura graça divina, um lugar especial no seio da Santíssima Trindade. Quando Deus nos chama, Ele chama porque vê em nós alguma valia. Ainda, que feitos do pó e do barro da terra, ele conta conosco para sermos colaboradores Seus na obra da redenção da humanidade. Para que Sua colheita seja farta, Ele sabe exatamente em qual tipo de solo pode semear suas sementes de forma que elas produzam frutos na proporção de cem, sessenta e trinta por um (Mt 13, 1-9).

Ao olhar para o primado de Deus que convida Maria para ser a Mãe do Salvador, vemos Nela  a representação de toda a Humanidade e também da Igreja de Cristo onde vivemos e celebramos nossa fé no Ressuscitado. E, tomamos consciência de que somos humanos, frágeis, pecadores, limitados, porém, convocados à santidade e convidados a participar no céu da comunhão sem limite e sem fim que o próprio Pai Eterno nos preparou.

Pe. Edinisio Pereira

Reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno

 

Missas

De segunda a sexta

Missas: 7h e 19h30

Sábado

Missas: 7h, 10h e 17h30

Domingo

Missas: 5h45, 8h, 10h, 12h, 15h e 17h30

Rede Vida

Segunda, terça, quinta e sexta: 7h Quarta: 9h

Sábado: 7h e 17h30

Domingo: 17h30

TV Anhanguera

Domingo: 5h30

PUC TV

Sábado e domingo: 17h30

TBC

Domingo: 8h

Rede Pai Eterno

Missas Segunda, quarta, quinta e sexta: 7h
Sábado: 7h e 17h30
Domingo: 5h45, 8h e 17h30

Novena dos Filhos do Pai Eterno Todos os dias: 4h, 12h e 22h Novena do Perpétuo Socorro Todos os dias: 2h

Rádio Difusora Goiânia

Missas Domingo: 8h Novena dos Filhos do Pai Eterno Todos os dias: 13h